Bitcoin: Um sistema de dinheiro eletrônico par-a-par

O título desse artigo que inaugura o Blog Cripto é a tradução livre do trabalho publicado por Satoshi Nakamoto para os assinantes de uma lista de e-mails sobre criptografia, no dia 31 de outubro de 2008. O documento[1] de oito páginas foi considerado revolucionário e aglutinou grandes mentes para o desenvolvimento do projeto. O Bitcoin foi lançado em janeiro de 2009 e é a primeira criptomoeda da história da humanidade.
Muito se especula sobre a identidade de Satoshi Nakamoto. No começo, alguns diziam se tratar de um cypherpunk[2] libertário, outros acreditavam que uma inovação desse porte não pode ter sido obra de um único indivíduo, mas de um grupo. Atualmente, é consenso da comunidade que Nick Szabo[3] é Satoshi Nakamoto, a despeito da sua própria negativa e das alegações de outras pessoas que clamaram essa identidade.
Nove anos depois, o Bitcoin representa um mercado de mais de 250 bilhões de dólares e já inspirou a criação de milhares de outras criptomoedas, juntas somando um mercado de mais de 400 bilhões de dólares. E embora tenha avançado em abrangência, importância e valor de mercado, o entendimento do que é uma criptomoeda ainda é algo muito restrito e suscita enormes quantidades de dúvidas.
Em poucas palavras, uma criptomoeda é um ativo digital de código aberto que utiliza algum tipo de criptografia para assegurar que suas unidades não possam ser copiadas, e algum tipo de protocolo capaz de reproduzir a escassez do mundo físico no meio digital. Embora existam milhares de criptomoedas diferentes, cada uma possui características muito peculiares e finalidades específicas às quais o mercado confere valor.
O Bitcoin foi criado com o propósito de ser um dinheiro eletrônico para envio de pagamentos online par-a-par, ou seja, de um ponto a outro da rede, sem intermédio de uma instituição financeira, como um banco ou uma administradora de cartão de crédito. A solução se deu a partir do advento de uma rede que “atribui uma data às transações, codificando-as em uma corrente contínua de prova de trabalho baseada em codificação, formando um registro que não pode ser modificado sem que a prova de trabalho seja refeita”. Essa rede é conhecida como Blockchain, e é a tecnologia utilizada pela quase totalidade das criptomoedas atualmente.
A Blockchain funciona como uma enorme operação contábil em computação descentralizada. Sua segurança contra ataques, fraudes e regulações reside no fato de que é inútil corromper uma unidade da rede ou um grupo de pares, porque o restante da rede não irá reconhecer aquela alteração de regras ou aqueles registros. Também é quase impossível, ou, no mínimo, incrivelmente dispendioso corromper a rede em sua totalidade.
As criptomoedas são novos ativos e tecnologias cujo valor ainda está para ser compreendido. Descobrir esse valor será o objetivo desse Blog.

LEIA TAMBÉM

→ 6 objeções a criptomoedas que não fazem o menor sentido

→ CRIPTOFÁCIL – O que é P2P?

→ Burger King pode abocanhar o bitcoin

→ Ambev vale 6,44 milhões de bitcoins

[1] https://bitcoin.org/bitcoin.pdf
[2] Cypherpunks são ativistas que defendem a utilização cada vez mais abrangente de criptografia como meio de transformação social, econômica e política.
[3] https://twitter.com/NickSzabo4

Artigos relacionados