Ibovespa está a 53,5% do "topo histórico", segundo Economática.

Segundo a Economática, o principal índice da bolsa brasileira, convertido para dólar, ainda está longe da máxima histórica. Em valores nominais, somente Peru e Colômbia não atingiram máximos históricos em 2017.
A empresa analisa, no fechamento do dia 13 de setembro, os índices de bolsa de seis países da América Latina e dos Estados Unidos em valores nominais, ajustados pela inflação e em dólares.
Dos nove índices listados, os índices dos Estados Unidos: Dow Jones, Nasdaq Composite e S&P500 estão no seu valor máximo histórico no dia 13 de setembro de 2017.
Entre os índices da América Latina, o índice Merval da Argentina é o que está mais próximo do seu máximo histórico. No dia 13 de setembro de 2017 o Merval fechou com 1.371,61 pontos em dólares e o máximo histórico do índice é de 1.486,85 pontos, registrados no dia 30 de setembro de 2014. O fechamento do dia 13 de setembro está, portanto a 92,2% do seu valor máximo histórico em dólares.
O índice que se encontra mais distante da sua pontuação máximo histórica em dólares é o Colcap, índice do mercado da Colômbia que no dia 13 de setembro fechou a 0,51 pontos em dólar. O maior valor do índice foi registrado no dia 8 de novembro de 2010 com 1,07 pontos em dólar.
O Ibovespa no dia 13 de setembro de 2017 está a 53,5% do seu maior valor registrado em dólares, que foi no dia 19 de maio de 2008 com 44.616,04 pontos em dólares.
Na tabela ainda podemos verificar os índices do Peru, Chile e México.

 

Ajustado pela Inflação

A Economatica calcula os índices dos sete países da amostra (USA, México, Colômbia, Peru, Chile, Argentina e Brasil) com valores ajustados pela inflação oficial de cada país e verifica que os índices dos USA, Dow Jones e S&P 500, no dia 13 de setembro de 2017 estão no seu maior valor histórico.
O índice do México, IPyC, no dia 13 de setembro de 2017 registra 50.164,88 pontos, o que representa 91,9% do valor máximo histórico, que se registrou no dia 28 de janeiro de 2013 com 54.588,91 pontos. O índice da Colômbia é o que se encontra mais longe do seu máximo histórico ajustado pela inflação. No dia 13 de setembro de 2017 o índice registrou 1.491,96 pontos contra 2.567,43 pontos registrados no dia 04 de novembro de 2010, com valores ajustados pela inflação daquele país.
O Ibovespa no dia 13 de setembro de 2017 está a 58,4% do seu valor máximo com valores ajustados pela inflação medida pelo IPCA. No dia 20 de maio de 2008 o Ibovespa em valores ajustados pela inflação registra 127.960,13 pontos.

Nominalmente

No ano de 2017 sete dos nove índices listados atingiram seu maior valor histórico. Os três índices dos Estados Unidos e o Ibovespa no dia 13 de setembro registram o seu maior valor nominal histórico. Os índices da Argentina, Chile e México atingiram seus máximos históricos no ano de 2017, já o índice da bolsa de Lima, Peru, está a 75,1% do seu máximo histórico nominal que foi registrado no dia 02 de abril de 2012 e o índice da Colômbia está a 76,8% do seu máximo histórico ocorrido no dia 4 de novembro de 2010.

Retorno dos índices em dólares

O Ibovespa nos últimos 12 meses registra o melhor desempenho com valores em dólares com 38,46%, seguido pelo índice do Chile com 37,19%. O índice da Colômbia tem o menor retorno com 10,11% em dólares. Confira:

Artigos relacionados