O mercado de NFTs

‘O que são NFTs

A sigla NFT vem de Non Fungible Tokens (tokens não fungíveis) ou seja, significa que aquela coisa não pode ser substituída, nem trocada, porque tem propriedades ou características exclusivas.

Só para dar um exemplo, o valor nominal do dinheiro é algo tangível, duas notas de 10 reais equivalem a uma nota de 20 reais ou a 4 notas de 5 reais, ou seja, você pode juntar o valor delas em si. Da mesma forma que o Bitcoin, é algo fungível.
Seu cachorro é algo não fungível, pois ele é único, podem até existir outros animais da mesma raça, porém aquele é único com suas próprias características.

Uma obra de arte original é algo não fungível, como o quadro da Monalisa por exemplo, onde você pode criar uma réplica dela se você tiver essa capacidade ou até mesmo tirar uma foto, de qualquer maneira você não tem o quadro da Monalisa original, você tem apenas uma cópia. E token é um certificado digital registrado em blockchain (mesma tecnologia que valida as transações de Bitcoin) que certifica que aquilo é original.

Então NFT é algo não fungível registrado na Blockchain o que garante a sua origem e de que ele é único, com isso sua autenticidade.
Esse registro pode ser feito de qualquer coisa no meio digital, uma imagem, um vídeo ou música por exemplo.

O que faz uma NFT?

Você deve estar se perguntando, o que tem de especial uma NFT para que pessoas paguem milhões por ela? Eu posso simplesmente baixar a imagem em JPEG.

Você pode até salvar em JPEG a mesma imagem daquele macaco da coleção Bored Ape Yacht Club que Neymar pagou quase R$6 milhões, mas essa cópia não faz de você ter a original, pois a original está com o Neymar e ele consegue comprovar isso na blockchain que é pública para qualquer pessoa, ou caso tenha curiosidade para saber quais as NFTs Neymar possui, é só clicar neste link: NFTs Neymar

No caso dos NFTs do Borad Ape Club, quem possuir algum, tem alguns benefícios como eventos exclusivos para membros como festas em iates e mansões, possibilidade de comprar produtos exclusivos, grupos de conversa online entre outros.

Muita gente se interessou por eles, na expectativa de se sentir parte dessa comunidade onde tem dezenas de celebridades como Eminem, Neymar, Madonna, Justin Bieber entre outros famosos que compraram o NFT do macaco.

Por ser algo único, os NFTs vem ganhando algumas funcionalidades, além de legitimar o mercado de artes digitais, como por exemplo o mercado imobiliário, onde empresas “tokenizan” um imóvel e vendem parte dele na blockchain, que por fazer o papel de verificadora do detentor do token, elimina a necessidade de cartório por exemplo, diminuindo os custos e dando agilidade na compra de um imóvel.

Outro exemplo é a coleção “criptosócios, do Youtuber Bruno Perini que criou uma coleção com 10 mil figurinhas, que dão algumas utilidades para os seus detentores, desde aulas online de seus cursos, descontos a até encontros para conversar pessoalmente.
Outros mercados comuns que utilizam o NFT são os de jogos, onde um item dentro de um jogo pode ser uma uma NFT como uma Skin, uma arma, um personagem, e etc.

Entre outras áreas, o mercado de música, cinema e esportes são outros mercados que estão cada vez mais inseridos nesse mundo que não para de crescer. Se você for um artista, você pode criar suas artes e “tokenizalas” de forma que você venda a sua arte em plataformas como a Rarible por exemplo, você pode determinar uma taxa de comissão de 1% sobre todas as negociações futuras das suas NFTs para sempre e assim garantindo que até seus herdeiros possam se beneficiar disso.

Pense no Van Gogh, onde seus quadros só foram ganhar valorização e reconhecimento após a sua morte. Se os herdeiros dele tivessem esse direito a royalties como é possível com esse mecanismo dos NFTs eles teriam ficado com uma fortuna a cada nova transação envolvendo os quadros.

Se você achou caro as duas NFTs que o Neymar pagou quase 6 milhões de reais é porque você ainda não viu a venda que o artista Mike Winkelmann fez de uma obra chamada Everyday, onde ele vendeu por 69 milhões de dólares.

A bolha dos NFTs 

Apesar do primeiro NFT ter surgido em 2014, só foi cair nas graças do povo em 2020 quando o mercado viveu uma espécie de bolha das NFTs, onde o mercado como um todo estava pujante, as taxas de juros no mundo estavam nas mínimas históricas, os governos injetando muito dinheiro na economia por conta da pandemia.

Notícias de crianças ficando milionárias nesse mercado, como a do menino de 12 anos que ganhou milhões com seus desenhos de baleias (Ether Rock) ou de pessoas comprando carros caros e casas apenas jogando games Play-to-Earn como Axie Infinity atiçaram a curiosidade e ganância de muitas pessoas.

Logo, com tantos casos de sucesso na mídia outros criadores entraram no hype e criaram novos projetos com coleções das mais diversas e investidores aventureiros na esperança de também ganhar muito dinheiro compravam estes novos projetos, atraindo novos criadores e novos investidores e este ciclo se retroalimentava gerando uma falsa sensação de dinheiro fácil e infinito e de que todos os ativos iam continuar subindo para sempre.

Nesse momento de euforia (alguns diriam insanidade) do mercado, muitas coleções explodiram de preço mesmo sem entregar nenhum benefício adicional, projetos sem fundamentos transacionaram milhões de dólares apenas pela ganância de investidores que não queriam ficar de fora de uma possível mega valorização.

Diante deste cenário a bolha dos NFTs estava formada. A cada dia novas coleções eram criadas e como bem sabemos a lei da oferta e demanda é uma das poucas leis que ainda funcionam.
No último trimestre de 2021 o as bolsas ao redor do mundo começaram a dar sinais das quedas que viriam pela frente por diversos fatores, desde guerra, inflação e aumento das taxas de juros, fizeram com que a grande maioria destes novos projetos de NFTs simplesmente perdessem todo aquele apelo de antes, muitos perdendo 100% do valor de mercado.

Não demorou e vimos o preço das coleções despencar e muitos projetos simplesmente desapareceram, mostrando que boa parte não passava de apenas uma scam (golpe) para se aproveitar dos desavisados e gananciosos que achavam que esse mercado teria alta infinita.

Estouro de bolhas são “naturais” e muito mais comum em mercados em desenvolvimento, onde ainda não existe maturidade e isso de certa forma é bom, pois serve para “limpar” do mercado muitos oportunistas, tornando um mercado mais maduro.

Vide por exemplo quando estourou a bolha da internet onde a maioria das empresas fecharam, mas as poucas que continuam se tornaram gigantes em seus segmentos, como Google, Amazon, Apple entre outras.

Conclusão

As NFTs podem ser usadas para muitas coisas e o fato é que ainda estamos descobrindo onde isso pode chegar. Só o tempo dirá todas as aplicabilidades que surgirão daqui.

No começo da internet ainda não era possível ver vídeos, apenas imagens de qualidade bem duvidosa que demorava para carregar, mas hoje achamos super comum assistir vídeos nos sites de streaming.

A previsão para a movimentação de NFTs até 2030 é de mais de $200 bilhões de dólares.

Se você pensa em investir, este momento onde o mercado já corrigiu bastante pode ser uma boa hora, tendo em vista que somente os melhores projetos tendem a passar pelo teste do tempo e das crises.
Mas saiba dos riscos envolvidos. Hoje já existem ETFs e até fundos de investimentos que estão focados em buscar as melhores oportunidades.

Artigos relacionados