Renda fixa: Onde investir em 2015 com rentabilidade e segurança

Conheça as principais aplicações conservadoras que chamam a atenção para 2015.

Essa semana recebi vários e-mails com muitas perguntas em comum: “como e onde investir em 2015 com segurança?” O artigo de hoje trará mais informações para uma carteira conservadora de investimentos que tem o objetivo principal de ganhar da inflação com risco baixíssimo. A vantagem do mercado é que ele é amplo, existindo modalidade de investimentos para todos os perfis. A habilidade está em elaborar uma carteira que busque o equilíbrio entre segurança e rentabilidade. O mercado financeiro brasileiro está amadurecendo e o investidor está descobrindo que existe vida fora da caderneta de poupança. Ainda é espantoso o numero de investidores de poupança no Brasil, porém é fundamental para o investidor procurar algo mais rentável, já que a mesma perdeu para a inflação nos últimos períodos.
Segundo especialistas, a renda fixa deve compor grande parte de uma carteira de um investidor conservador, ainda mais em períodos de expectativa de taxa de juros mais alta e certa desconfiança com os dados nacionais, similar ao momento atual e neste momento, ser um pouco mais cauteloso é uma estratégia interessante.

Vamos às aplicações que mais chamam atenção para o ano que vem segundo especialistas:

LCI (LETRA DE CREDITO IMOBILIARIO)
A LCI é um título de renda fixa emitida por instituições autorizadas pelo Banco Central com o objetivo de financiar o setor imobiliário. Os créditos imobiliários são geralmente garantidos por hipoteca ou alienação fiduciária do imóvel. Os títulos podem ter rentabilidade pré ou pós-fixada – ou seja, o investidor pode saber exatamente quanto vai receber durante o tempo de aplicação ou então terá um retorno que flutuará de acordo com as taxas de juros praticadas no mercado.

Entre as principais vantagens da aplicação, está o fato de ela ser isento de IR (imposto de renda), e que é garantida pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito) até o limite de R$ 250 mil por CPF e por instituição financeira. Isso quer dizer que, caso a instituição bancária onde você investe tenha problemas, o FGC garante até esse limite aplicado. Portanto, é como se investidor contasse com um “seguro” contra perdas. Para quem quer investir mais de R$ 250 mil, a dica é optar por vários títulos de instituições diferentes. Assim o investidor poderá garantir um retorno mais elevado em um investimento cujo risco continuará muito baixo.

O LCI rende atualmente de 11% a 12% ao ano, ou seja, de 0,90% a 1,00% ao mês líquido dependendo do tempo de aplicação.

LCA (LETRA DE CREDITO DO AGRONEGOCIO)
Praticamente possui todas as características da LCI. A única diferença é que o título tem como objetivo de financiar o setor agrícola. O rendimento é isento de Imposto de Renda e também é garantido pelo Fundo Garantidor de Crédito até R$ 250.000,00 por CPF.
O LCA rende atualmente de 11% a 12% ao ano, ou seja, de 0,90% a 1,00% ao mês líquido dependendo do tempo de aplicação.
TITULOS PUBLICOS
Considerado por alguns especialistas um dos títulos mais seguros do momento, chamam a atenção para compor uma carteira de investimentos. Esse tipo de investimento possui data pré-definida para vencimento e na sua plataforma existe título pré e pós-fixados, além de aplicação atrelada à inflação. Esse tipo de aplicação é mais considerado para longo prazo, já que os vencimentos são a partir de 2017. Ideal para construção de capital para aposentadoria fazendo com que o capital seja corrigido pela inflação. Outra vantagem é que podem ser adquiridos títulos fracionados com valor mínimo abaixo de R$ 100,00 viabilizando aportes menores nesse tipo de investimento.

As rentabilidades dos títulos públicos dependem do tipo de título adquirido que podem ser:

Pré Fixado: 12,30% ao ano bruto. Se mantiver por mais de 2 anos, renderá em torno de 0,85% ao mês liquido fixado.

Pós Fixado: Seguirá a taxa SELIC. No momento rendendo 11,75% ao ano bruto. Se mantiver por mais de 2 anos, renderá em torno de 0,90% ao mês líquido; Com a oscilação dos juros, pode aumentar ou diminuir a rentabilidade.
Inflação: Título interligado ao IPCA ou IGP-M (Índices de Inflação). Títulos pagando Inflação + 5,70% ao ano bruto com pagamentos semestrais. Ideal para formação de reservas de longo prazo corrigidos pela inflação.

CDB

É o instrumento de captação dos bancos, com o objetivo de financiar suas atividades. Com esse título você empresta dinheiro aos bancos em troca de uma rentabilidade (juros). A característica principal do CDB é a liquidez após o período de carência. Ela possui rentabilidade inferior ao LCI, porém é indicado para quem precisa de liquidez e poderá precisar resgatar o valor a qualquer momento. O valor investido é garantido pelo FGC até R$ 250.000,00 por CPF e por instituição. Mesmo incidindo imposto de renda nesse investimento, ele ainda possui maior rentabilidade que a poupança em períodos de taxa de juros mais alta conforme estamos vivenciando nesse momento.

Sua rentabilidade depende das taxas de juros na economia. No momento pagando em torno de 8 a 9% ao ano líquido. Ideal para quem quer liquidez.

DEBENTURES

Debêntures são títulos de créditos emitidos por empresas de vários ramos, com o objetivo de financiar investimentos, rolar dívidas ou fornecer capital de giro. São aconselhados para investidores que miram um horizonte mais longo já que o pagamento na maioria das vezes é semestral ou anual. Pessoas físicas podem contar com isenção da rentabilidade se investir em debêntures de infraestrutura. Essa modalidade de investimento faz com que incentivem grandes empreendimentos focados em infraestrutura de portos, estradas, etc.

Na maioria das vezes, as debentures incentivadas possuem rentabilidade superior que qualquer título de renda fixa. Muitas chegam a pagar inflação + 10% ao ano líquido, porém o pagamento é anual, fazendo com que esse título se enquadre para uma carteira de longo prazo.

Resumindo:

Aplicações para períodos maiores de 2 anos: Títulos Públicos e Debêntures pagando inflação + taxas de juros;

Aplicações para períodos entre 2 meses e 2 anos: LCI e LCA ( isenção de IR pagando em torno de 12% ao ano – quase 1% ao mês líquido);

Aplicações com liquidez diária: CDB (rentabilidade de 8% a 9% ano líquido).

Existem inúmeros investimentos que se enquadram como conservadores que podem trazer mais rentabilidade para uma carteira de investimento. Irei trazer mais detalhes em um próximo artigo.

Quem gostou do artigo e quer mais informações sobre esses investimentos e receber gratuitamente um modelo de carteira com rentabilidade e segurança elaborada por analistas profissionais e, uma planilha de juros compostos para facilitar o planejamento financeiro é só entrar em contato pelo e-mail felipe@experato.com.br ou pelo fone 55 3313 1992.

Artigos relacionados