Título público prefixado saiba como escolher


O título público prefixado é um título ofertado pelo Tesouro Nacional através do programa Tesouro Direto, em parceria com a BM&F. É um título conhecido e muito procurado principalmente por investidores iniciantes. Possui garantia do Tesouro Nacional e é voltado para investidores com perfil conservador, principalmente os que estão buscando algo além da caderneta de poupança.
Por ser prefixado, a rentabilidade já é conhecida de imediato, uma vez que os juros são definidos no momento da aplicação. Há uma taxa de custódia cobrada anualmente pela BM&F de 0,3% sobre o valor dos títulos. A taxa de administração pode ou não ser cobrada pela corretora e varia de 0% a 2%. Você pode conferir o quanto cada instituição cobra de taxa na página do Tesouro Direto.
Há incidência de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) nos resgates efetuados nos primeiros 29 dias, após este período não há incidência. Já o Imposto de Renda será calculado sobre a rentabilidade (juros obtidos) do investimento e não sobre o montante. O cálculo será feito seguindo a tabela regressiva de Imposto de Renda.
O investidor tem três modalidades: o Tesouro Prefixado LTN (Letras do Tesouro Nacional), o Tesouro Prefixado com Juros Semestrais e o Tesouro IPCA. Ambas têm o mesmo padrão de investimento, diferenciando-se pela forma de rentabilidade e pagamento.

Tesouro Prefixado LTN

Como todo título prefixado, você já sabe o valor do rendimento se carregar o papel até a data de seu vencimento uma vez que a taxa de juros é definida no momento da aplicação. Na data de vencimento o investidor receberá o valor investido somada a rentabilidade.
Tem um fluxo simples, com uma aplicação e um resgate. É indicada para quem pretende manter o título até a data de vencimento e acredita que a taxa básica de juros seguirá uma tendência de queda, ficando abaixo da taxa prefixada do título. Em caso de resgate antecipado o investidor pode ter prejuízo, já que além da incidência de IR o resgate será feito considerando-se o preço de compra de mercado, que pode ser menor que o valor pago no momento da aplicação.

Tesouro Prefixado com Juros Semestrais e Tesouro IPCA

Têm características semelhantes ao LTN, porém, são subdivididos em NTN-F, NTN-B e NTN-B Principal e. O NTN-F passou a ser chamado de Tesouro Prefixado com Juros Semestrais, o NTN-B passou a ser chamado Tesouro IPCA com juros semestrais e o NTN-Principal agora é o Tesouro IPCA+.
O NTN-F é semelhante a LTN, porém, há o pagamento de juros semestrais, que são chamados de cupons semestrais. Com isso, a cada 6 meses o investidor recebe rendimentos em sua conta corrente, antecipando o rendimento a ser pago no vencimento. Se por um lado isto garante um rendimento semestral de um título que ainda está por vencer, por outro, reduz o rendimento final até porque há incidência de IR no resgate do cupom semestral.
O NTN-B e o NTN-B Principal pagam, além dos juros, o rendimento da inflação medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor – Amplo) que é o índice de preço calculado pelo IBGE e utilizado pelo Banco Central para definir as metas de inflação. Com isso, estes títulos oferecem um rendimento real, mantendo o poder de compra ao longo do tempo.
A diferença está na forma de pagamento deste rendimento. O NTN-B paga cupons semestrais, assim como o NTN-F. Já o NTN-B Principal reinveste os juros obtidos ao invés de repassa-los ao investidor. Por isso, o NTN-B passou a se chamar Tesouro IPCA com juros semestrais e o NTN-Principal passou a se chamar Tesouro IPCA+.
Ao optar por um título público prefixado, o ideal é carrega-lo até a data de seu vencimento. Ao efetuar o resgate antecipado, como já explicamos, você pode ter prejuízo já que há incidência de IR e o valor do título também está sujeito a volatilidade do mercado. Para quem acredita na continuidade da tendência de queda da taxa básica de juros, vale a pena manter o título até o vencimento. Os que preferem alguma proteção contra a inflação podem optar pela NTN-B ou NTN-B Principal. Já os investidores que querem algum fluxo de caixa positivo ao longo do investimento podem optar por NTN-F ou NTN-B. Tudo vai depender do seu perfil de investidor. Seja qual for o seu perfil, você pode contar com a Central do Investidor, que oferece assessores preparados para te orientar na escolha do melhor título, agende uma conversa.

Artigos relacionados