Central do InvestidorCentral do Investidor

As maiores altas dos últimos 20 anos

21 de dezembro de 2017 às 16:56 Por Postado em Central do Investidor

Ao olhar os últimos 20 anos, o que se imagina que foram as ações que mais subiram? Ações ligada a commodities? Bancos? Varejo? Por que elas subiram? Qual era a conjuntura econômica e quais fatores as fizeram subir? Eis algumas das perguntas que pretendemos responder abaixo.

Segundo uma pesquisa feita no sistema Economática[1], as maiores altas da bolsa brasileira desde 1997 passam por setores bastante diversos, desde empresas do setor de siderurgia, passando pelo setor de varejo, financeiro, dentre outros. Ao analisar as empresas que mais subiram, seus setores, e analisar o que ocorreu no Brasil e no mundo desde 1997, vemos os benefícios advindos da estabilização da economia, o impacto do super ciclo das commodities, do aumento da renda dos brasileiros, gerando um impacto bastante positivo na economia, e consequentemente no retorno dos ativos.

Das empresas que mais se valorizaram, o setor que mais se destaca é o setor de comércio, varejo e setores que tem correlação, como o setor bancário, com empresas como Alpargatas, Lojas Americanas, Lojas Renner, Ambev, Grazziotin, Guararapes, Itaú Unibanco, Bradesco, todas se beneficiando da estabilidade econômica conquistada com o Plano Real, com a expansão econômica e do crédito do Brasil e por um modelo que se baseou no consumo interno – mais recentemente -, mas que hoje apresenta sinais de esgotamento, com famílias brasileiras com endividamento médio crescente, podendo vir a comprometer o consumo para pagar dívidas pessoais. Hoje, o endividamento médio das famílias é de 58,4%[2] da renda, o que pode complicar o crescimento do consumo interno e do crédito, mas que abre oportunidades para os produtos brasileiros no mercado externo, por exemplo, aliando o fator câmbio como forma de geração de competitividade perante outros concorrentes.

 

Setor de varejo é destaque na Bolsa

 

Acompanhando o crescimento econômico, outros setores que se beneficiaram foram os correlatos ao de infraestrutura, aliando uma demanda de investimentos em grandes obras, consequentemente de aço, minério, energia, máquinas dentre outros, que ajudaram a viabilizar uma expansão econômica nacional de forma mais pujante até 2012.

Segue abaixo a lista dos maiores retornos dos últimos anos segundo o Economática[3]. Essa lista nos permite ter uma leitura bastante interessante sobre o que aconteceu no país nos últimos 20 anos. A pergunta agora é, o que ocorrerá nos próximos 20 anos?

[1] Disponível em: <https://rdpviaweb-3-eco-web.economatica.com/ba/ecoCloud.html?lang=pt>. Acessado em 19 de dezembro de 2017.

[2] Disponível em: <http://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2017-10/endividamento-das-familias-cresce-e-atinge-584>. Acessado em 19 de dezembro de 2017.

[3] Disponível em: <https://rdpviaweb-3-eco-web.economatica.com/ba/ecoCloud.html?lang=pt>. Acessado em 19 de dezembro de 2017.

LEIA TAMBÉM

→ Depois de subir mais de 20% em 2017, Ibovespa tá caro ou barato?

→ Ibovespa fecha com menor volatilidade desde 2014.

→ O que esperar em 2018?

→ Volume da Bovespa é equivalente ao do Facebook.

Disclosure

Este relatório foi preparado pela equipe de análise de investimentos da Experato Investimentos. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Experato Investimentos.

Este relatório é distribuído somente com o objetivo de prover informações e não representa uma oferta de compra e venda ou solicitação de compra e venda de qualquer instrumento financeiro. As informações contidas neste relatório são consideradas confiáveis na data de sua publicação. Entretanto, as informações aqui contidas não representam por parte da Experato Investimentos garantia de exatidão dos dados factuais utilizados. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado.

Este produto é indicado, sobretudo, a investidores cujo perfil haja sido definido como Moderado, Dinâmico, Arrojado, de acordo com a Política de Suitability empregada.

Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste material, limitadas às companhias objeto de sua análise, nos termos do art. 17 da Instrução CVM 483:

O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste material refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação a demais empresas do Grupo Experato.

A remuneração do(s) analista(s) de investimento está, direta ou indiretamente, influenciada pelo resultado proveniente dos negócios e operações financeiras realizadas pela Experato Investimentos.

 

Tags: , , , ,

Analista CNPI-P, com formação avançada em derivativos financeiros. Formado em Relações Internacionais (UNISUL), MBA em gestão empresarial pela FGV.