[Agrícolas] Contratos futuros e seus códigos de negociação.

No ultimo artigo, falamos sobre o tamanho do mercado futuro de commodities, sendo um dos mercados mais negociados do mundo. Uma das bolsas de valores mais conhecidas é a Bolsa de Chicago, que foi criada em 1848 para negociar contratos futuros de milho.
As preocupações dos produtores em garantir a venda de seus produtos, bem como dos usuários finais em assegurar a disponibilidade dos mesmos produtos para industrializá-los, resultaram na criação do conceito dos chamados contratos “por vir”, ou seja, os contratos futuros. A partir de 1973, começaram na Bolsa de Chicago as negociações com contratos financeiros.
No Brasil, a história do mercado futuro só teve inicio em 1917, quando foi criada a Bolsa de Mercadorias de São Paulo e começou a negociar contratos futuros de algodão. Em 1991 fechou acordo com a Bolsa Mercantil & Futuros, que depois se tornou BM&F Bovespa, que agora houve fusão com a Cetip, formando a B3.



A Bolsa de futuros brasileira não é tão grande quanto à de Chicago, mas com o fomento da cultura de investimentos e Hedge no Brasil, tem aumentado o numero de investidores desse segmento. Segue abaixo, principais contratos negociados na bolsa brasileira e seus respectivos códigos:

Contratos negociados na B3 e seus respectivos códigos.

Cada commodity possui um código de negociação, conforme pode ser visto abaixo:

Fonte: XP Investimentos

Junto com o código, segue a letra correspondente ao mês de vencimento do contrato futuro, conforme abaixo:

Fonte: XP Investimentos

No final, se informa o ano do vencimento do contrato futuro.

Ex.: Contrato de milho vencimento Maio de 2018:
Milho = CCM
Maio = K
Ano = 2018
Código: CCMK18

No próximo artigo entraremos mais em detalhes sobre as características do mercado futuro de commodities. Até lá!

 LEIA TAMBÉM:

Margem de Garantia: o grande diferencial do Mercado Futuro →

Mercado Futuro Movimenta até 200 bi diariamente →

Como comprar e vender SOJA na bolas →

Relatórios USDA →

USDA – Estoques trimestrais de Soja e Milho ficam abaixo do esperado nos EUA →

Artigos relacionados