IGP-M o que e como impacta sua vida

O IGP-M, após o IPCA, é um dos índices econômicos mais comentados no dia-dia dos brasileiros, principalmente por investidores e empreendedores do setor imobiliário. 

Confira neste artigo como o IGP-M impacta sua vida e como usá-lo a seu favor.

Nesse artigo, você encontrará os seguintes tópicos:

1. O que é IGP-M?

2. Como é calculado o IGP-M?

3. Outros índices IGP

4. IPCA x IGP-M

5. Qual índice escolher?

Conclusão

Ao realizar um contrato de aluguel, financiamento, ou algum tipo de investimento no setor imobiliário, você já deve ter se deparado com essa sigla IGP-M

1. O que é IGP-M

Assim como o IPCA, que é o índice de inflação mais conhecido e que já tratamos em um artigo anterior (https://centraldoinvestidor.com/ipca-o-que-e-e-como-impacta-sua-vida/ ), o IGP-M também é um índice de inflação.

O IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado), que é conhecido popularmente como a inflação dos imóveis, é divulgado mensalmente pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas, uma das instituições de ensino mais bem conceituadas do país. 

No final dos anos 1940, o IGP-M foi criado para ser um índice que mediria de forma abrangente as oscilações de preço de itens desde matérias-primas agrícolas e industriais, até bens e serviços ao consumidor final.

Além do setor imobiliário, o IGP-M também é comumente utilizado por empresas de telefonia, energia elétrica, educação, planos de saúde, dentre outros.

2. Como é calculado o IGP-M?

O IGP-M apura informações sobre a variação de preços do dia 21 do mês anterior ao dia 20 do mês de coleta. 

Como a intenção do IGP-M é levar em consideração tanto a variação de preços de bens e serviços quanto de matérias-primas utilizadas na produção agrícola, industrial e construção civil, ele consiste em uma média aritmética ponderada da inflação ao produtor (IPA), consumidor (IPC) e construção civil (INCC).

2.1 IPA – Índice de Preços ao Produtor Amplo 

O IPA registra variações de preços de produtos agropecuários e industriais em transações entre empresas, em estágios anteriores ao consumo final.

2.2 IPC – Índice de Preços ao Consumidor

O IPC visa a cobertura de famílias de renda entre 1 e 33 salários-mínimos mensais.

É considerada a variação de preço mensal de uma cesta de bens e serviços habituais dessas famílias.

2.3 INCC – Índice Nacional de Custo da Construção

O INCC tem como foco o acompanhamento da evolução dos preços dos itens mais relevantes para a construção civil, como serviços, mão de obra e materiais.

2.3 IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado)

Os pesos de cada um desses índices no IGP-M seguem suas parcelas da despesa interna bruta calculadas com base nas Contas Nacionais:

  • 60% IPA;
  • 30% IPC
  • 10% INCC

3. Outros índices IGP

Além do IGP-M, temos também o IGP-10 e o IGP-DI, que possuem a mesma fórmula de cálculo, porém com diferentes períodos de coletas de informação:

  • IGP-10: entre os dias 11 do mês anterior ao dia 10 do mês de coleta;
  • IGP-DI: entre o primeiro e o último dia do mês.
  • IGP-M: entre o dia 21 do mês anterior ao dia 20 do mês de coleta.

 

4. IPCA x IGP-M 

O IPCA é um índice do governo, calculado pelo IBGE. Já o IGP-M é calculado de forma independente pela FGV. 

Dessa forma, além da diferente metodologia de cálculo, o IGP-M tem total independência com órgãos e entidades públicas. Essa última característica pode ser vista como um fator de transparência e maior assertividade para certos indivíduos.

Em alguns casos, é possível que você escolha o índice de reajuste de seu contrato entre o IPCA e o IGP-M. Nesse caso, qual é mais vantajoso?

Antes de tomar essa decisão, é importante que você analise os dados históricos entre os dois índices, visto que possuem diferentes metodologias de cálculos.

O histórico do IPCA pode ser encontrado no site do IBGE: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/economicas/precos-e-custos/9256-indice-nacional-de-precos-ao-consumidor-amplo.html?=&t=downloads

O IGP-M pode ser encontrado no site da FGV: https://portalibre.fgv.br/?utm_source=portal-fgv&utm_medium=menu-indices&utm_campaign=portal-fgv-menu-indices e seu histórico em: http://www.yahii.com.br/igpm.html

No gráfico acima é possível perceber que a oscilação do IGP-M acumulado anual é maior que a do IPCA em sua maioria. 

No Brasil, historicamente possuímos inflações positivas. Como o IGP-M possui uma oscilação maior que o IPCA, ele também tende a ser maior que o IPCA.

No gráfico acima é possível verificar que o IPCA ficou abaixo do IGP-M, em 15 dos 23 anos analisados (65%).

De janeiro de 2001 a junho de 2022 a diferença média entre IPCA e IGP-M foi de -2,04% ao ano. Ou seja, o IGP-M foi superior ao IPCA durante esse período em 2,04% ao ano. 

5. Qual índice escolher?

Antes de definir qual índice é mais adequado para você, é importante lembrar que estamos realizando um estudo comparativo entre os dois índices nos últimos 23 anos.

Assim como nos investimentos, o estudo passado serve para nos dar um embasamento, porém não é garantia de que no futuro isso se manterá.

Dito isso, podemos verificar que, historicamente, a escolha pelo IGP-M foi vantajosa para quem empresta o dinheiro ou é o fornecedor do serviço/produto, visto que tem um maior índice de correção. 

Já para quem está contratando um empréstimo ou é locatário, por exemplo, foi mais vantajoso escolher o IPCA, visto que teve uma menor evolução e possuiu menor volatilidade, o que garante uma maior previsibilidade. 

6. Conclusão

Existem diversos índices para calcular a inflação. É importante que você conheça a maior parte deles para verificar qual é mais adequado e vantajoso para você, de acordo com sua situação.

Por isso, não deixe de conferir nossos outros artigos sobre o CDI: https://centraldoinvestidor.com/5303-2/

E sobre o IPCA: https://centraldoinvestidor.com/ipca-o-que-e-e-como-impacta-sua-vida/

 

Artigos relacionados

plugins premium WordPress