Sopa de letrinhas no mercado financeiro? Conheça os principais tipos de investimentos

Para o investidor que não tem experiência no mercado financeiro, começar a investir pode ser difícil!

Pois nesse mercado mergulhamos em uma “sopa de letrinhas”, é CDB pra cá, LCA para lá, aparece um CDI no meio, “vish” realmente parece complicado.

Mas, essa é apenas uma linguagem que o mercado utiliza para nomear investimentos que possuem características diferentes, e conhecê-los é fundamental para saber onde se está investindo, qual a segurança e vantagens que esse investimentos lhe proporciona.

Nesse artigo você sairá sabendo dos principais tipos de investimentos do mercado financeiro:

CDB – Certificado de Depósito Bancário

LCA – Letra de Crédito do Agronegócio

LCI –  Letra de Crédito Imobiliário

CRA – Certificado de Recebíveis do Agronegócio

CRI – Certificado de Recebíveis Imobiliário

Debêntures

Títulos Selic

Títulos IPCA

Títulos IPCA+

Fundos de Investimentos

FIIS – Fundos Imobiliários

Ações

 

Ativos de Renda fixa

Investimentos em renda fixa são investimentos de nível conservador, que na maioria das vezes, eu disse maioria e não todas, possuem segurança, ou seja, em caso de falência do órgão recebedor você irá receber seu capital de volta. 

Mas, tome cuidado,  fique atento ao tipo do investimento que você irá investir, pois cada tipo de investimento consta: valor mínimo para aportes, a data de vencimento, taxas cobradas, segurança, entre outras informações DIFERENTES um dos outros.

DICA: Fique ligado nos investimentos que possuem segurança do FGC, esses te garantem retorno do capital caso a instituição emissora do título venha a falência.

FGC – (Fundo Garantidor de Crédito): é uma instituição financeira, sem fins lucrativos, que te dá a garantia de retorno do valor investido, até 250 mil, por CPF e em até 4 instituições diferentes, em caso de falência da instituição aportada.

Então, quais são os investimentos de renda fixa?

1. CDB – Certificado de Depósito Bancário

São títulos emitidos por instituições bancárias e vendidos ao público para a captação de recursos, rentabilizando o investidor com algum juros sobre o capital aportado, devido ao tempo de “empréstimo” desse dinheiro.

Mas fique atento, esse investimento não conta com isenção do imposto de renda, ou seja, a rentabilidade prometida por esse investimento é a rentabilidade bruta e não líquida. A tributação desse investimento é realizada pela tabela regressiva do imposto de renda.

Esse tipo de título possui algumas características:

  • Possuem prazo de vencimento
  • Possuem taxas de rentabilidade definidas na compra
  • Baixo risco para o investidor
  • Possui garantia do FGC
  • Não é isenta de IR

2. LC– Letra de Crédito

LCA – Letra de Crédito do Agronegócio 

LCI – Letra de Crédito Imobiliário

É um investimento ISENTO do imposto de renda para pessoas físicas, funciona de forma semelhante aos CDB’s. 

Quando investimos em uma LCI ou LCA, estamos fornecendo recursos para os bancos repassarem para as suas devidas modalidades, mercado imobiliário ou agronegócio (respectivamente). E assim, os investidores ganham uma rentabilidade, em forma de juros, em cima dos aportes feitos.

Esse tipo de título possui algumas características:

  • Isenção de Imposto de Renda e IOF para Pessoa Física
  • Baixo risco para o investidor
  • Rentabilidade definida na compra 
  • Garantia do Fundo Garantidor de Crédito
  • Baixa incidência de taxas

3. CR – Certificado de recebíveis

CRI – Certificado de Recebíveis Imobiliários

CRA – Certificado de Recebíveis do Agronegócio 

São títulos de crédito privado, emitidos por securitizadoras (empresa responsável por comprar a dívida da companhia), gerando um direito de crédito ao investidor.

Diferentemente dos investimentos anteriores, esse tipo de investimento, embora seja de renda fixa, possui riscos, ligados à companhia que emite o título de dívida no mercado, esse tipo de risco chamamos de risco de crédito.

Risco de crédito: risco de um devedor não liquidar integralmente seus compromissos em tempo hábil (inadimplência).

Porém, devido a esse risco que o investidor toma ao investir nesse ativo financeiro, o retorno propiciado por esse título geralmente são maiores que os ativos mais seguros de renda fixa. 

Esse tipo de título possui algumas características:

  • Possui prazo definidos na compra
  • Possui taxas definidas na compra
  • Possui venda no mercado secundário
  • Possui isenção do IR
  • Possui riscos

4.Debêntures

Igualmente aos CRI e CRA, são títulos de crédito privado representativos de um empréstimo que uma companhia realiza junto a terceiros.

Esses títulos de crédito são emitidos por empresas e negociados no mercado de capitais, eles dão direitos ao investidor contra a emissora. Em alguns aspectos, seu funcionamento lembra o dos títulos do Tesouro Direto (explicado posteriormente neste artigo). Só que em vez de financiar o governo, quem compra debêntures empresta dinheiro para uma empresa construir uma nova fábrica, por exemplo. 

Lembrando que esse ativo possui o mesmo risco de crédito que os investimentos em CRI e CRA, explicado anteriormente. Além disso, as Debêntures podem ou não ser isenta de imposto de renda para pessoa física, as Debêntures incentivadas que contam com isenção de imposto de renda as demais cobram o imposto conforme a tabela Regressiva de Imposto de Renda.

Esse tipo de título possui algumas características:

  • Negociada no mercado secundário
  • Podendo ser isenta de IR (Debêntures incentivadas)
  • Possui Risco
  • Possui prazo definidos na compra
  • Possui taxas definidas na compra

5. Títulos Públicos

O Tesouro Direto é um programa da Secretaria do Tesouro Nacional do Brasil em parceria com a B3 e que possui o intuito de democratizar a compra e venda de títulos públicos federais por pessoas físicas através da internet.

São papéis emitidos pelo tesouro nacional, que representam uma forma de financiar a dívida pública.

Assim, o detentor do papel, o investidor, está “emprestando” dinheiro para o governo em troca de alguma rentabilidade atrelada ao valor investido.

Temos assim vários tipos de títulos do tesouro direto e cada qual possui algumas características que os diferenciam um dos outros.

É importante frisar que os títulos do tesouro possuem o que chamamos de segurança soberana no mercado financeiro, como é o governo que realiza a contra parte desse investimento, consideramos que é o título mais seguro do mercado financeiro.

  • Tesouro SELIC

Tesouro Selic é um título atrelado à taxa básica de  juros da economia, a Selic.

É uma boa aplicação para quem busca baixo risco, alta liquidez e retornos médios ligados ao motor básico da renda fixa, que é a taxa Selic. Geralmente usado como investimento de reserva de emergência pelos investidores.

Esse tipo de título possui algumas características:

  • Rentabilidade pós fixada
  • Atrelado a taxa Selic
  • Possui alta liquidez
  • Possui a segurança do governo

Observação: A Taxa da B3 para quem tem mais que 10 mil investido no Tesouro Selic é de 0,25%a.a

  • Tesouro IPCA

Tesouro IPCA é uma família de títulos que paga um juro anual acrescido da variação da inflação oficial do país.

Esse título serve para o investidor que quer proteger o seu capital da inflação, visto que sua rentabilidade acompanha o IPCA (Indicador oficial que mede a inflação no Brasil).

Mas basta destacar, que esse ativo, por acompanhar o IPCA, em caso de deflação o título de rentabilizar igualmente.

Esse tipo de título possui algumas características:

  • Título pós fixado
  • Garante retornos conforme inflação
  • Possui a segurança do governo
  • Possui prazo definido na compra
  • Possui taxas definida na compra
  • Tesouro IPCA+

 O Tesouro IPCA+ é um título parecido com o Tesouro IPCA, porém o IPCA+ paga um retorno real (retorno acima da inflação), pelo fato de sua rentabilidade ser híbrida, parte atrelada à inflação e parte pré-fixada.

Esse ativo é muito requisitado pelos investidores de perfis conservadores e moderados, pelo fato de possuir a segurança do governo e ter a rentabilidade acima da inflação.

Esse tipo de título possui algumas características:

  • Título Híbrido
  • Garante retornos acima da inflação
  • Possui a segurança do governo
  • Possui prazo definido na compra
  • Possui taxas definida na compra

6. Fundos de Investimentos

Fundos de investimentos são aplicações financeiras formada pela união de vários investidores, formando assim um “condomínio de investidores”, que buscam um investimento em comum. Não possuindo personalidade jurídica. São um tipo de investimento na qual o investidor possui uma tranquilidade em relação aos seus investimentos.

Assim, esse condomínio de investidores que visa um determinado objetivo e são administrados por gestores profissionais, que então montam a carteira de ativos, dividem a receita gerada e as despesas necessárias para esse empreendimento. 

Esses investidores então, possuem cotas em relação ao valor investido nesse fundo, que é atualizado diariamente, e através dessas cotas é que os rendimentos também são distribuídos igualmente.

Dependendo do tipo de fundo, as carteiras de ativos geralmente são bastante diversificadas, podendo conter ativos do tipo:

  • Renda fixa
  • Títulos cambiais
  • Commodities e derivativos
  • Títulos públicos
  • Ações
  • Vantagens de investir em fundos
  • Diversificação

Os Fundos possuem uma alta diversificação de ativos, pelo simples fato de ser uma união de vários investidores, o capital arrecadado por ele é muito grande. Permitindo assim, ao gestor, investir em variados ativos.

  • Gestão Profissional

Toda a gestão do fundo é realizada por profissionais que possuem certificação e tem todo o escopo de comitê e analistas que fazem a leitura do ambiente, decidindo assim a estratégia do fundo dentro da política pré estabelecida de investimento.

  • Praticidade

Possui alta liquidez e facilidade de investir, pois basta ao investidor escolher apenas o tipo de fundo que o gestor dele corre atras dos ativos relacionados a essa escolha. E a alta liquidez se dá pelo fato do capital alto que permite ao fundo possuir vários ativos, permitindo vender quando necessário, sem impactar o fundo.

  • Segurança

Possui então participantes que fiscalizam, além de ter que seguir uma série de normas e legislação correspondentes.

  • Desvantagens de investir em fundos

Existem algumas desvantagens, tais como, a remuneração paga aos administradores e gestores do fundo, por ter um gestor que escolhe os ativos da carteira você não tem como selecionar os ativos do fundo e além disso ainda temos as tributações como come-cotas para fundos de multimercado, cambiais e renda fixa.

Come-cotas: é o imposto de renda semestral calculado sobre os rendimentos produzidos pelos fundos de renda fixa de condomínio aberto e recolhido no último dia útil dos meses de maio e novembro.

7. Renda Variável

Investimentos em renda variável são investimentos de nível Agressivo. São investimentos que não possuem segurança de retorno, ou seja, em caso de falência do órgão recebedor o investidor fica propício a perder todo capital investido.. 

Então tome cuidado,  fique atento ao tipo do investimento que você irá investir, pois para cada tipo de investimento existem algumas ferramentas que podem auxiliar a avaliar a empresa ou gestora que se deseja investir.

8. Fundos imobiliários – FIIs

Fundos imobiliários é uma forma mais acessível de investir em imóveis. Pois ele evita muita burocracia, você pode começar com pouco dinheiro e não precisa se preocupar com inquilinos e reformas.

Por meio da bolsa de valores você adquire cotas de algum tipo de fundo imobiliário. Essas cotas te fazem ser “dono de parte do imóvel”, ou seja, tu passa então a receber uma porcentagem dos lucros desse imóvel referente a porcentagem de cotas que tu possua.

O FIIs tem como característica principal a distribuição de dividendos, que são isentos de IR para pessoa física. Mas não podemos esquecer que por ser um ativo de renda fixa conta com volatilidade e valorização.

É importante destacar que existem vários tipos de Fundos Imobiliários, cada qual como uma estratégia específica adquirida pela gestora do fundo. Então é importante ter uma carteira diversificada nesse setor também.

Resumindo, os fundos imobiliários são nada mais que um conjunto de recursos destinados à compras de ativos imobiliários. Os investidores aportam recursos no fundo e este fundo, através de seu gestor e administrador, compram ativos imobiliários, assim o investidor passa a usufruir dos rendimentos proporcionados pelo ativo, seja pelo seu aluguel, comercialização ou mesmo pagamento de juros.

9. Ações

Ações são papéis vendidos na bolsa de valores, que representam uma fração do capital de uma empresa.

Quando compramos ações de uma empresa nos tornamos acionista minoritário, ou seja, passamos a participar dos lucros e prejuízos dessa empresa.

A grande vantagem de investir em ações é a facilidade. Enquanto a entrada ou saída de uma sociedade traz valores altos e requer muita burocracia, a compra e venda de ações é algo extremamente simples, podendo ser realizada com alguns cliques e não tendo burocracia pesada alguma.

Então o acionista pode analisar, comparar e escolher a melhor ação para si, se tornando acionista de uma empresa com muito pouco dinheiro.

É importante salientar que existem tipos diferentes de ações negociados no mercado financeiro, (confira o artigo sobre Renda Variável), caracterizada pelo número no final do ticker, nome da ação encontrada no mercado,  que expressam preferências na participação da empresa, na preferência de distribuição de dividendos e até com um conjunto das duas, como se fosse um pacote.

10. Como começar a investir

Para quem está começando a investir, o mercado financeiro pode sim ser complicado de entender, pode parecer aquela sopa de letrinhas que muitas das vezes desmotiva o investidor a sair da poupança e buscar rentabilidades melhores.

Porém, hoje contamos com um mundo cheio de informações e profissionais que podem nos auxiliar a buscar uma melhor performance nos investimentos, alinhando a carteira de investimentos com o perfil e objetivos financeiros.

Além de conhecer o mercado financeiro, saber o seu perfil e onde quer chegar é um dos passos fundamentais para alinhar a performance da sua carteira de investimentos com a sua vida.

É importante salientar que existem algumas diferenças entre investir através de corretoras e bancos, as corretoras estão mais preparadas para receber os investidores que buscam diversidade de investimentos, atendimento profissional e personalizado e saber de forma transparente as taxas que estão pagando para investirem.

Deixo aqui uma última dica, busque ajuda de um profissional para alinhar a sua carteira de  investimentos com o seu perfil e objetivos financeiros, buscando maior performance e realizar os sonhos financeiros.

Artigos relacionados

plugins premium WordPress